«« voltar

2010 Ano Internacional do Pulmão: desafios para Portugal

De facto as doenças respiratórias atingem anualmente mais de 4 milhões de portugueses, mais de 30% da população sofre de doenças respiratórias crónicas, matam anualmente cerca de 15.000 portugueses, tem custos directos que ultrapassam os 600 milhões de euros anuais e são responsáveis por 4 milhões de dias de afastamento das actividades laborais e ou escolares.

Tendência a ter uma incidência crescente, não obstante serem em grande parte preveníveis, já que dependem muito de erros comportamentais, nomeadamente o fumo de tabaco e a poluição atmosférica provocada pelas actividades humanas, e ainda de erros na prevenção da doença, por exemplo através da vacinação contra a gripe e a pneumonia.

É pois urgente desenvolver políticas que permitam a equidade na acessibilidade a cuidados de saúde de qualidade, mas é igualmente necessário que essas políticas incidam fortemente em campanhas de promoção da saúde, prevenção, diagnóstico precoce e controle das doenças, para o que é necessário o envolvimento empenhados de toda a sociedade e de cada um dos elementos que a compõe, e não apenas das autoridades e dos médicos, enfermeiros e outros técnicos de saúde.

PATROCINADORES