«« voltar

Resguarde-se do Calor

Diário de Coimbra, 13 de Julho de 2017

Todos nós devemos ter em conta que o calor em excesso pode trazer graves consequências para a saúde, sendo especialmente atingidos os doentes crónicos, designadamente os doentes respiratórios; idosos; grávidas; crianças e trabalhadores com grande actividade no exterior. As alterações climáticas têm vindo a aumentar as temperaturas em todo o mundo, designadamente em Portugal onde ano de 2016 foi considerado um dos mais quentes dos últimos anos. A Organização Meteorológica Mundial (ONU) prevê um ano de 2017 muito quente, mas que não deve bater o recorde de 2016, refira-se no entanto que recentes estudos de investigação apontam para um aumento significativo das ondas de calor na Península Ibérica. Estamos assim sujeitos a sofrer as chamadas "Ondas de Calor" - caracterizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) quando há um aumento da temperatura máxima acima de 5 graus centígrados, por períodos consecutivos de 6 ou mais dias. Considera a Fundação Portuguesa do Pulmão (FPP) que: as temperaturas elevadas provocam o aumento dos níveis do ozono troposférico que lesa as vias as vias respiratórias e pode desencadear crises de asma; baixa a humidade no ar que respiramos podendo causar desidratação que perturba a formação de secreções brônquicas essenciais para a limpeza das vias aéreas. Segundo Teles de Araújo (FPP): "Está estatisticamente demonstrado que as ondas de calor se acompanham dum aumento significativo dos episódios agudos de doenças respiratórias, com expressivo aumento da mortalidade".

Conselhos úteis

A Direcção Geral da Saúde (ver Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas) e a Fundação Portuguesa do Pulmão (ver Site da FPP) têm alertado todos os anos a população em geral para os perigos das temperaturas elevadas, e têm apresentado alguns conselhos úteis, como: evitar a exposição solar no período de as 11 às 17h; proteja-se com chapéu de aba larga ou um boné que projecte sombra na face; use protectores solares com índice de protecção solar elevado - igual ou superior a 30; use óculos escuros que protejam dos raios ultra violetas; use roupas claras, leves e largas, de algodão; beba muitos líquidos de preferência água e evite as bebidas alcoólicas, açucaradas e gasificadas; faça refeições mais leves e mais frequentes; mantenha os estores e as janelas fechadas durante as horas de sol, e ventile a casa ao entardecer; os idosos, os acamados e as crianças devem ter pouca roupa na cama; verifique o estado dos filtros nos aparelhos do ar condicionado; evite actividades físicas ao ar livre que exijam grandes esforços físicos, e repouse em lugares frescos; não fique dentro das viaturas ao sol que podem atingir temperaturas superiores a 65 graus C., tendo cuidado especial com os idosos e as crianças. Finalmente um apelo aos familiares e/ou vizinhos para estarem atentos ao estado de saúde das pessoas isoladas, ou de doentes crónicos que apresentam os primeiros sintomas de descompensação, sugerindo-se nestes casos que contactem com o seu médico assistente ou a Linha Saúde 24, ou INEM.

Diário de Coimbra, 13 de Julho de 2017
João Rui Gaspar de Almeida
Presidente da Delegação de Coimbra da Fundação Portuguesa do Pulmão.

PATROCINADORES