voltar

Dia Mundial da DPOC


No próximo dia 20 de Novembro, em que se comemora o Dia Mundial da DPOC, a Fundação Portuguesa do Pulmão vem chamar a atenção para a situação epidemiológica desta doença no nosso país e para os seus importantes impactos.

A DPOC afeta cerca de 800.000 portugueses e, de acordo com os dados do Observatório Nacional das Doenças Respiratória / Fundação Portuguesa do Pulmão, foi responsável por 8.190 episódios de internamento hospitalar e custos diretos da ordem dos 240 milhões de euros. Em 2017 morreram por DPOC 2800 pessoas. Os doentes com DPOC morrem também por causas cardíacas, por cancro e por pneumonia, pelo que este número pode subir para valores bastantes mais altos, sendo a DPOC uma importante causa de morte. 

A DPOC é uma das doenças que se manifesta no adulto devido, em primeiro lugar, ao consumo de tabaco (90% é causada pelo tabaco, 20% dos fumadores de um maço e 40% dos fumadores de dois maços vão desenvolver esta doença), embora outros fatores, como a poluição ambiental ou fumo passivo, possam também ser responsabilizados.

Apesar do diagnóstico ser feito através de um exame muito simples e barato - a espirometria - a DPOC é uma doença subdiagnosticada. Por isso a Fundação Portuguesa do Pulmão aponta para a necessidade da avaliação funcional respiratória através desse exame, a todos os fumadores, mesmo àqueles que tenham idade inferior a 40 anos, e a todos os doentes respiratórios crónicos sintomáticos.

A abordagem terapêutica assenta em três pilares: interrupção do hábito de fumar, medicação dirigida - onde se inclui a vacinação antigripal e antipneumocócica - e a reabilitação respiratória.

Esta realidade leva, neste dia, a Fundação Portuguesa do Pulmão a propor às autoridades da Saúde as seguintes medidas:

  • Que seja implementada a rede nacional de espirometria capaz da deteção e o diagnóstico precoce. Atrasos nesse diagnóstico implicam que muitos doentes vão ser tratados já em fase tardia da doença, com muito pior prognóstico e maior incapacidade.
  • Que, à imagem do que ocorre já para a vacina antigripal, sejam incluídos nos grupos de doentes com acesso gratuito à vacina antipneumocócica, os doentes com DPOC.
  • Fomentar uma rede nacional de reabilitação respiratória, já que a reabilitação respiratória dever fazer parte integrante da terapêutica dos doentes respiratórios crónicos sintomáticos, como no caso vertente.

Fundação Portuguesa do Pulmão



PATROCINADORES